- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A casa de Sto António

José Galhardo / João Nobre
Repertório de Tristão da Silva

Num largo acima de Alfama
Velas em chama gritam em bando
Entrem
aqui porque è fama
Que aqui nasceu D.Fernando

Na casa mostra-se o quarto
Onde, já farto de tentações
Partiu Fernando a trocar por Deus
O seu lar, o seu nome e os brasões

Ó casa de Santo António
Feita de esmolas, só por fiéis
Igreja que ès património
De quem te deu cinco reis
Os pobres filhos dos pobres
Deram-te uns cobres juntos com fé
Esmolinha pró Santo António
São o demónio, os gaiatos da Sé


O humilde, o rude, o campónio
Vêm António muito diferente
Ao som da banza e do harmónio
O santo arrancha co'a gente

Arrasta pobres e ricos
Aos bailaricos e aos arraiais
Nas fontes faz maravilhas
Quebra nas bilhas e junta os casais