- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Chegam andorinhas negras

Fernando Campos de Castro / Maria José Gorgal
Repertório de Natércia Maria

Chegam negras Andorinhas / Aos limites da cidade
E as negras penas minhas / Já vestiram de saudade

Venceram longos caminhos / Mar e terra, vendavais
Só p'ra voltarem aos ninhos / Que deixaram nos beirais

Uma Andorinha que volta
Veste de negro e de saudade
Mas traz nos olhos á solta
Regressos e liberdade 

As Andorinhas, amor / Vestem de negro violento
Mas dão mais e mais cor / Ao frio do céu cinzento

Ser Andorinha em regresso / Meu amor, ai quem me dera
Ser apenas o começo  / Duma nova primavera