- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.107.500 VISITAS /*/ ABRIL 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa >

Ultima porta

Letra e musica de Frederico de Brito
Repertório de Rodrigo


Abandonou-se ao desespero
Foi como naufrago sem rumo
Nunca na vida foi sincero

Por fim perdeu todo o aprumo

Falto de amparo, andou perdido
Não viu na vida um mau pronúncio
Até que ao fim, desiludido

Pôs no jornal mais este anúncio

Resto de esperança, perdeu-se
Do largo da ilusão à rua do esquecimento
Tem manchas de ingratidão e sinais de sofrimento
Quem a achou, se não se importa
Entregue-a mesmo à saída do beco do fim da vida
Ultima porta


Vida que eu sei que anda ao acaso
Que não se inveja nem se gaba
Uma licença a curto prazo

Que ninguém sabe quando acaba

Não a ganhou, era uma herança
Foi dissipada aí a rodos
Como perdeu também a esperança

Vem amanhã nos jornais todos