- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Dois pecados

Mário Raínho / Jaime Santos *fado jaime*
Repertório de Leonor Santos

Teus olhos são dois pecados
São mais dois fados que ando a cantar
És o feitiço mais louco
Que pouco a pouco me anda matar;
Tua maneira de ser
Leva-me a crer, não ser real
Ás vezes falas-me bem
Outras porém, falas-me mal

Se me beijas enlouqueço
E até me esqueço que a qualquer hora
Sem perguntas nem respostas
Voltas-me as costas e vais-te embora;
Vá lá a gente entender
Quem vai saber qual a razão
Porque mudas de feitio
E quente e frio teu coração

Não sei meu amor, não sei
Porque te dei todo este amor
Se a tua grande ternura
Nem sempre pura, chega a ser dôr;
Porque me prendo afinal
Ao bem, ao mal, do teu olhar
Teus olhos são dois pecados
São mais dois fados que ando a cantar