- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Alta roda

Nóbrega e Sousa / António José
Repertório de António Calvário


Não me procures, nem me sigas, por favor
Mesmo que jures, que é sincero o teu amor
Não me convenço, pois nada tenho de meu
E o mundo a que pertenço é tão diferente do teu

Vem ver a rua pobrezinha aonde eu moro
Vem, porque não te demoro

Não tem muito para ver
Eu sei que a tua, fica da minha distante
E é num bairro elegante

Onde gostas de viver;
É tão diferente a tua casa, da minha
Mas a trapeira velhinha

Por nada posso trocar
Entre esta gente, estou talvez, fora de moda
E na vida da alta roda

Para mim não há lugar

Sei que onde moras, só lá vive a altivez
E não deploras, porque até gostas, talvez
No meu cantinho não há lustres nem cristais
Mas não se vive sózinho com os ninhos nos beirais