- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Aguarela fadista

Manuel de Almeida / Armandinho *fado alexandrino antigo*
Repertório de Manuel de Almeida

Tu levas o teu xaile, eu visto uma samarra
E vamos de abalada aqui aos arredores
Bater o fado antigo ao som duma guitarra
E beber água-pé numa adega de Loures

Quero levar também calça à boca de sino
Chapéu à masantino, uma camisa branca
E vamos de manhã os dois, muito cedinho
Assistir à chegada do gado a Vila Franca

À tarde na corrida, a praça engalanada
Sob um sol escaldante que p’la arena se espalha
Hás-de ver um fidalgo sobre a sua montada
Altivo e destemido lidar toiros do Palha

Há noite num retiro, havemos de cantar
O fado rigoroso, o mais castiço fado
E em quadras de improviso havemos de ir tocar
Os tempos que lá vão respeitando o passado