- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.580 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Cais noturno

Fernando Campos de Castro / Pedro Rodrigues
Repertóio de Alzira Afonso
     
Prendi num canto sombrio      
Do cais solitário e triste
O barco do pensamento
Deitei amarras ao rio
E sobre o cais negro e frio
Ganhei a forma do vento

Fui longe por entre a bruma / Sozinha na madrugada
Sem ter saído dali
E sem haver praia alguma / Fiz uma cama d’espuma
Onde ansiava por ti

Na noite havia gemidos / E o respirar ofegante
De gaivotas sobre a água
E nos meus cinco sentidos / Havia sonhos erguidos
Aos sonhos da minha mágoa

Vieste já madrugada / Com asas feitas de vento
Sobre uma onda perdida
E a tua boca salgada /Galgando a noite fechada
Foi o cais da minha vida