- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Na rua do silêncio

António Sousa Freitas / Joaquim Campos *fado alexandrino*
Repertório de João Braga


Na rua do silêncio é tudo mais ausente
Até foge o luar, e até a vida é pranto
Não há juras de amor, não há quem nos lamente
E o sol quando lá vai é p’ra deitar quebranto

Na rua do silêncio o fado é mais sombrio
E as sombras duma flor não cabem lá também
A rua tem destino, e o seu destino frio
Não tem sentido algum, não passa lá ninguém

Na rua do silêncio as portas estão fechadas
E até o sonho cai, sem fé e sem ternura
Na rua do silêncio há lágrimas cansadas
Na rua do silêncio é sempre noite escura