As 5.180 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Propagandista *humor*

Neca Rafael / Fado da Foz
Repertório de Neca RafaelArmei em propagandista
Com ervas e cascas d'alhos
Intoxiquei muita gente
Foi o cabo dos trabalhos:

Envenenei um ror de gente
Foi o cabo dos trabalhos

Armei os meus aparatos / E comecei por dizer
Ora o chá que vos vou vender / Tira nódoas, mata ratos
Limpa o fogão, cola pratos / Dá ouvido, limpa a vista
Evita de ir ao calista / Nevralgias, congestões
E como os mais aldrabões
Armei em propagandista
Dor siática, bronquite / Cura as feridas mais profundas
Faz endireitar os corcundas / Também abre o apetite
Cura a asma, a meningite / E dispensa os agasalhos
Esfrega, branqueia soalhos / Põe a voz nítida a um rouco
Eu já fiz ouvir um mouco
Com ervas e cascas d'alhos

Mata baratas, formigas / Tira as dores do cotovelo
Limpa, conserva o cabelo / É contra o tifo e bexigas
Faz expulsar as lombrigas / Tira o micróbio do dente
Faz aniz, licor, aguardente / Faz pomada pró calçado
E com este preparado
Intoxiquei muita gente

E com este preparado
Envenenei um ror de gente

Com este chá abençoado / Que desenvolve um raquítico
P'ra dar cura a um paralítico / Eu fui um dia chamado
Depois de bem friccionado / O homem *coitadinho* correu atalhos
daqui do Porto aos Carvalhos / A deitar um pó prá caspa
Morreu a dançar a raspa
Foi o cabo dos trabalhos