- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.650 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Os meus versos

Florbela Espanca / Paulo Valentim
Repertório de Kátia Guerreiro

Rasga esses versos que eu te fiz, amor
Deita-os ao nada, ao pó, ao esquecimento
Que a cinza os cubra, que os arraste o vento
Que a tempestade os leve, aonde fôr

Rasga-os na mente se os souberes de cor
Que volte ao nada, o nada de um momento
Julguei-me grande pelo sofrimento
E pelo orgulho, ainda sou maior

Tanto verso já disse o que eu sonhei
Tantos penaram já, o que eu penei
Asas que passam, todo o mundo as sente

Rasga dos meus versos!... pobre endoidecida
Como se um grande amor, cá nesta vida
Não fosse o mesmo amor de toda a gente