- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Desonra *HUMOR*

Neca Rafael / Fado da Foz 
Repertório de Neca Rafael

Minha sogra, um camafeu
Veja bem p'ro que lhe deu
P'ra se espolinhar no chão
E começar a dizer:
Ai Jesus que eu vou morrer
Sabe-me a boca a sabão

A filha agarrada a ela / A tremer, muito amarela
E a gritar como louca
Dizia assim; diga mãe / O que é que você tem
Que tanto espuma p'la boca?

A mãe não liga nenhuma
E sempre a deitar espuma / Mas diz, às duas por três
Ai que eu estou envenenada
Porque andava apaixonada / Por um limpa-chaminés

Ai que aflita que eu estou!
Mas o que é que tomou? / A filha lhe perguntava;
Ai eu tomei um veneno
Que está no quarto pequeno / Onde o teu homem se lava

Deixei-a quase a morrer
E vou ao quarto a correr / E vejo que aquela parva
Sem sequer de mim ter dó
Engoliu-me todo o pó / Que era de eu fazer a barba

Então, não liguei nenhuma
Deixei-a deitar espuma / Mas tirei a conclusão
Que uma velha com desonra
P'ra lavar a sua honra / Tinha de engolir sabão