As 5.205 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Conquistador azarento *humor*

Neca Rafael / Rapsódia / Paquito / R. Gentil
Repertório de Neca Rafael

Sou feio mas tive tantas / Que nem contá-las consigo
Tive tantas, sei lá quantas / Quantas tive por castigo
Mas eu passei horas santas

Eu tive uma que julgava / Que eu era qualquer veludo
Julgava que me enganava / Mas eu sabia de tudo
Tanto assim que até cantava

A mim não me enganas tu
A panela ao lume, o arroz está crú

Tive outra que me adorava... Mas era em tudo ruím
Essa pinchava e gritava... Gritava agarrada a mim
E toda se esganiçava

Ai eu quero, eu quero, eu quero
Amanhã vou-me casar, já passei a roupa a ferro
Já passei a roupa a ferro, já passei o meu vestido
Amanhã vou-me casar e o Neca é meu marido

Todos me querem, eu quero alguém
Quero o meu amor, não quero mais ninguém
Todos me querem, eu quero só um
Quero o meu amor, não quero mais nenhum

E como outra não queria / Não queria por meu azar
Sem saber o que fazia / Sem saber o que pensar
Eu puz-me a cantar um dia

Se te queres casar
Anda meu amor á fonte comigo
Que eu peço ao senhor p'ra casar contigo
E vais ver se é ou não como eu digo

Ai tantas tive e por fim / Parece que por bruxedo
Esta se agarrou a mim / Como uma lapa ao rochedo
E está sempre a cantar assim

Daqui não saio, daqui ninguém me tira

Sou tua, sempre tua, até á morte